quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Qual a maneira correta de se obter vitamina D sem danificar a pele

Todos nós fomos informados de que a exposição ao sol é benéfica para nossos corpos, uma vez que a radiação UV, especificamente a radiação UVB, permite que nossos corpos produzam vitamina D. No entanto, há um limite para a quantidade de sol que é bom.
É preciso ficar atento ao limiar para se manter saudável pegando o mínimo de sol necessário, porém sem extrapolar os limites recomendados por especialistas.
A maioria das fontes, incluindo os Institutos Nacionais de Saúde, aconselham que os indivíduos de pele mais clara devem ter entre dez e quinze minutos de luz solar pelo menos três vezes por semana , durante os quais não devem usar quaisquer tipo de protetores solar.

Os indivíduos de pele mais escura podem precisar dez vezes essa quantidade para produzir a mesma quantidade de vitamina D, pois sua pele possui altos níveis de melanina e, portanto, mais proteção contra a radiação UV. No entanto, esses tempos são simplesmente estimativas , porque, dependendo de cada tom específico de pele de pele, do Índice UV de um determinado local e a quantidade de pele exposta, o tempo necessário para produzir a quantidade certa de vitamina D variará.
Também é importante notar que permanecer no sol por períodos mais longos do que o tempo recomendado não oferece nenhum benefício adicional para a saúde. Em vez disso, ele realmente pode destruir a vitamina D produzida e causar danos à pele.

Se você é extremamente preocupado com os raios solares, e como eu e se recusou a sair da casa sem protetor solar, você pode simplesmente comer alimentos ricos em vitamina D, como gemas de ovos e leite embelezado, e tomar suplementos vitamínicos para obter a dosagem necessária cada dia para se manter saudável. Esta maneira de obter vitamina D é realmente sugerida por muitos médicos .

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Colastrina - Porque é importante repor o colágeno da pele?

A produção de colágeno durante os anos vai caindo. Ele é uma proteína 100% natural, sintetizada pelo próprio organismo. Porém, a partir dos 30 anos, com o envelhecimento de todo o nosso organismo, essa produção vai caindo aproximadamente 1% ao ano. Para mulheres na menopausa a queda é ainda maior, de 2% ao ano. No começo parece pouca coisa, mas ao final dos anos faz muita diferença. Se não se cuidar, aos 50 anos as pessoa já vão ter perdido pelo menos 20% da produção total, não considerando a transição entre o período fértil e infértil. A queda é tão grave, que a mulher passa a produzir apenas 65% do que originalmente produzia de colágeno na sua juventude.
Para quem não sabe, o colágeno é uma proteína que representa um quarto de todas as proteínas que constituem nosso corpo. Ela esta presente principalmente na pele, nos fios de cabelos, nas unhas e até mesmo na cartilagem, tendões e músculos. É por isso que é tão importante repor os níveis. O indicado é fazer a reposição a partir dos 30 anos de idade, para quem fica muito tempo no sol, fuma, consome álcool em excesso, a reposição pode começar ainda antes.


A Colastrina Funciona como uma maneira artificial de equilibrar a falta de produção de colágeno no corpo. Ela é um suplemento natural, que não faz mal à saúde e deve ser tomado todos os dias a partir dos 30 anos. Assim é possível garantir uma pele menos danificada pelos anos, que se mantém firme, lisa, livre de rugas e com a elasticidade ideal. A Colastrina ajuda a evitar também o enfraquecimento das unhas e dos cabelos, mantendo-os fortes e saudáveis. Alivia e previne dores nas articulações, problemas nos tendões, o surgimento de cicatrizes e estrias. Além do mais é excelente para minimizar a aparência da celulite já existente.